E ali estava eu, admirando as águas verde-esmeralda no fundo desse poço. A água era realmente bem verdinha, igual à foto que tinha visto na semana anterior, e essa parada surpresa apenas tornou aquele momento ainda ais mágico.
Meus amigos omanis, que iam dirigindo, pararam no sumidouro (sinkhole) de Bimah, que está no pequeno parque Hawiyat Najm, próximo à rodovia que liga Muscat à cidade de Sur, e a apenas 600 metros da praia. O sumidouro, que é conhecido pelos omanis como Bait al-afreet, tem 40 metros de largura e chega a 20 metros da superfície.
Uma semana antes desse passeio, estava eu no meu hotel em Muscat, vendo fotos e lamentando o fato de que mais uma vez não poderia conhecer o sumidouro. Assim, quando paramos ali, fiquei não apenas contente, mas meio que extasiado. Ficamos olhando a piscina do sumidouro por alguns instantes e fiquei meio admirado com alguns omanis no paredão, prestes a pular, gritando, e só ouvíamos o eco. Bem que eu queria fazer o mesmo!
Descemos a escadaria que leva à piscina natural. Era apenas 9 da manhã, e embora estivéssemos longe do ar condicionado do carro por apenas alguns minutos, o calor do verão no deserto já me fazia suar e o sol queimava minha pele. A água parecia tão fresquinha que, mesmo não nadando bem, eu estava determinado a dar um mergulho. Quando chegamos às margens, meu amigo explicou que a atração “foi criada por um pedaço da lua que caiu, abrindo o buraco, e a água do mar veio por baixo”.
Meus amigos se recusaram a entrar, de maneira que tirei a roupa, senti a temperatura da água com a ponta dos dedos do pé, e pulei na água fresquinha. Após poucos segundos, notei que uns peixinhos pequenininhos começaram a morder meus pés. Fazia cócegas e logo me dei conta de que eram os famosos peixes pedicure, muito utilizados em spas orientais. Fantástico! Eu estava nadando numa piscina natural que mais parece um sonho, e como bônus, os peixes estava comendo a pele morta dos meus pés. Nada mal!
Enquanto eu nadava, os jovens omanis continuavam pulando na água, e uma família indiana se acomodava entre as pedras. Ficamos ali por cerca de uma hora e depois fomos à praia. O calor e a claridade eram tão intensos que eu mal conseguia manter meus olhos abertos sem óculos de sol. Desta vez, não entrei na água, pois a correnteza era bastante violenta.

Quando voltamos ao carro, fiquei pensando na explicação que meu amigo me deu, para a existência do sumidouro. É claro que ela é baseada na crença dos omanis mais velhos, mas a verdade é que o sumidouro de Bimah foi criado pela erosão, assim com outros muitos sumidouros mundo afora. Mas para mim, isso o torna mais especial, pois embora seja apenas “mais um”, é considerado um dos sumidouros mais bonitos do mundo.
INFORMAÇÃO PRÁTICA

Localização: O Sumidouro de Bimah está localizado a 48km de Sur, próximo à estrada que liga esta cidade à capital Muscat. É uma parada ótima para quem está visitando os oásis da região de Sharqiyah.
Como Chegar: Não existe transporte público para o local. Você tem que ter seu próprio carro ou combinar um preço com algum taxista em Sur ou Muscat.
Infraestrutura: O pequeno parque é muito popular com famílias fazendo pic-nic, mas não tem bar nem restaurante. Você tem que levar a própria comida e muita água. O local tem apenas banheiros, que são relativamente limpos.
Entrada: A entrada é gratuita.
Achou este post útil? Então curta nossa página no Facebook (facebook.com/viajecompedro) e não perca nenhum post futuro!

Siga o Viaje com Pedro no Twitter.
Siga o Viaje com Pedro no Instagram.
Siga o Viaje com Pedro no Google+.


Só queria te avisar que, se você reservar alguma coisa pelos links do blog, eu recebo uma pequena comissão. VOCÊ NÃO PAGA NADICA A MAIS, mas com certeza estará ajudando o blog. Obrigado!


RESERVE SEU HOTEL AQUI || INGRESSOS PARA MUSEUS E EXCURSÕES
TRANSFER DO AEROPORTO || VOOS BARATOS

Leave a Reply

Your email address will not be published.

CommentLuv badge